.

.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Musa de Kpop

Musa de Kpop, tu te chamarás Yura, Hwang ou Jihae – sorriso de plástico, cintura fina ao infinitésimo, pele lisíssima a rivalizar com a neve de alguma montanha na fronteira com a Manchúria e, [já que estamos a falar de montanhas], com a barra de tua microssaia tão alta quanto os picos do Himalaia, que não é perto mas fica na Ásia.

E eu serei Jeon, Park ou Kim, que importa [e que original].

Tu [Musa de Kpop] dançarás num palco cruzado por refletores e cenário alvíssimo ao lado das outras e ninguém se lembrará de que a música é eletrônica e a letra faz menos sentido que um ornitorrinco cor-de-rosa [Toda a Filosofia do Kpop se resume em Eu sou linda, tem muito carinha, atrás de mim, você vai ter que me conquistar – diria Confúcio, e Confúcio nem era coreano]. A cada shot a edição do Music Video te fará mudar de roupa – e aparecerás azul, amarela ou vermelho-brilho-plástico. Mudarás de posição a ocupar todos os espaços do palco a lembrar dos gritos do diretor de coreografia no ensaio. E nos intervalos dará 437 autógrafos e contarás cada meia caloria de cada meia folha de alface a mais.

E no meu palco [no nosso palco – porta trancada, janela à meia-luz] faremos dupla a nos afastar e enroscar olho, lábios e tudo – e a altura de tua minissaia não fará diferença [aliás, não haverá minissaia e eu também não terei muita coisa].


E tu te chamarás Yura ou Jihae, e eu Jeon ou Kim, e quem se importa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário