.

.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

008 – Barão de Gérando, o primeiro administrativista

Ele pode não ser o primeiro estudioso do Direito Administrativo. [Os historiadores o incluem numa trinca de pioneiros junto com Macarel e Cormenin]. Mas é o mais charmoso deles.

O Iluminismo e a Revolução Francesa geraram monsieur Joseph-Marie de Gérando. O primeiro professor de Direito Administrativo nasceu em 1772 em Lyon [como mais outro bom fruto daquela urbe, além de sua tranquilidade e sua esquisita culinária]. Teve muitos interesses na vida e o primeiro não foi a ciência jurídica. Oficial no exército revolucionário, retornou para estudar em Paris, tornando-se depois administrador na sua cidade natal.

Interessou-se por antropologia e por trabalhos de caridade, e não de maneira segregada. Era membro da Sociedade dos Observadores do Homem, que propugnava a observação participante das populações, e publicou o livro O Visitador do Pobre. Para Gérando, a filantropia é uma ciência empírica que inclui a investigação.

Homem da Era Napoleônica, trabalhou no Ministério do Interior e ajudou a introduzir a administração francesa na Itália ocupada. Em 1811 ingressou no Conselho de Estado francês.

Este órgão recente acumulava seus julgados, sem consciência de que criava um novo ramo do saber jurídico. Em 1819 foi chamado a ocupar a primeira cadeira de Direito Administrativo no mundo. Publicou depois os Institutos do Direito Administrativo Francês. Faleceu em 1842.

O Barão de Gérando constitui um exemplo de conhecimento e visão amplas, que oxalá ilumine todos os administradores públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário