.

.

terça-feira, 1 de julho de 2014

006 - #EuQueroEconomicidade

Berthold Brecht disse O que é um roubo a um banco diante da fundação de um banco? - e não brincava.

O senso comum ajuda a entender os princípios administrativistas da Eficiência e da Eficácia. Eficaz é o sujeito que sai para comprar um Rolls-Royce, e o faz. Eficiente é aquele que compra o Rolls-Royce bem barato. Há um terceiro princípio, o da economicidade: é o daquele sujeito que se pergunta se ele precisa de um Rolls-Royce.

Os órgãos de controle [notória e meritoriamente] se apressaram a fiscalizar os megaeventos Copa e Olimpíadas. Equipes de auditoria foram enviadas e reenviadas, planilhas examinadas, modificações em matrizes sofreram questionamentos.

Restou o mais estrutural e menos intuitivo: o por que. O Executivo colocou os megaeventos como inevitabilidade, restando apenas fazê-los o melhor possível. A Economicidade é inimiga dos inevitáveis: sempre é possível fazer diferente com os mesmos recursos. Princípio de aplicação menos perceptível, uma forma de fazê-lo é pela análise comparativa. Tomar-se a massa de recursos gastos com os megaeventos e saber o quanto faria esta massa se aplicada em dar esgoto para os cerca de 40% de brasileiros sem ele. Ou para criar as superescolas de que falou o Senador Cristóvão Buarque. O que traria maior ganho em, digamos, 50 anos?

E não é muito tarde. Vêm aí as Olimpíadas. Afinal, o que é o superfaturamento em um velódromo diante da construção de um velódromo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário