.

.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

015 - Kassler: o outro caminho

Arnold Hauser [em certa nota de pé de página na segunda edição húngara do seu História Social da Arte e da Literatura] refere-se que Os Sofrimentos do Jovem Werther [a obra seminal do romantismo teutônico] até dois dias antes da impressão tinha este mesmo nome, porém trocando Werther por Kassler.

Tal mudança poderia ser uma mera escolha de nome do personagem por parte do autor Johann Wolfgang von Goethe, se o tal Kassler [ainda segundo o historiador] não tivesse sido bem real.

Amigo de Goethe na Universidade, Johann Wolfgang von Kassler [a coincidência é significativa] pensava [como Werther] em conhecer a mulher de sua vida. Imaginava, porém, que sempre que dobrasse uma esquina à direita, ela estaria à esquerda – e ele nunca a conheceria; ou se a carruagem atrasasse cinco minutos; ou se fosse ao teatro, em vez de estudar na casa de um amigo. O eterno pensar no que poderia ter sido o acachapava – a ele e a seu amigo Goethe, que [não surpreendentemente] começou a pensar em seu amigo como um atormentado personagem.

Goethe tomava nota do gosto de Kassler pelos lenços rosa, pelos filés grossos de porco, pelos crepúsculos de ventania e pelas estátuas de Apolo [com o qual (presumivelmente) se identificava]. E acima de tudo, com seu ar de expectativa, sempre a pensar no que pudera ser, sem nunca ter sido.

Isso [talvez, e segundo amigos de Hauser, que nunca o pôs no papel] levou o poeta a esquecer o tenso Kassler em favor de Werther, tão infeliz quanto, porém mais simples.

Nenhum comentário:

Postar um comentário