.

.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

006 - Porn, Antígona

I was porn for you Antigone estreou em um cine-teatro na cidade de Shizuoka a 4 de agosto de 1945 e tal título [bem pouco adequado] se trata de uma [mais que sofrível] tradução do título japonês Ren-Kiu-Antidonezarai, cuja versão mais adequada seria algo como Pré-Antígona [e não Antígona Devassa, como alguns colecionadores de celuloides velhos por razões comerciais insistem em nomeá-lo].

O sufixo Pré tem suas razões: as intenções do diretor [que compreensivelmente permaneceu anônimo] seriam [dizem os poucos que assistiram] especular, dentro da peça de Sófocles, as razões que levaram a ainda adolescente protagonista a mais tarde se comportar como o fez – e que construiu a fama daquela obra.

O filme [embora pequeno nos seus 57 minutos] dá os braços [dizem] ao tédio: em um período de só um dia uma Antígona inexplicavelmente sempre vestida de verde e envolta em [quase irritante] neblina procura [nervosamente] alguém – que depois de dois terços da película se sabe que é seu irmão Polinices.

A [em verdade pequena] fama se deve a apenas dois minutos e pouco mais, em que a protagonista faria amor com o irmão [uma cena com impacto maior que o devido, pois a tal neblina permitiria ver muito pouca coisa]. Tragédias atômicas jogadas pouco depois sufocaram quaisquer intenções filosóficas [ou comerciais] do diretor da obra, que permaneceu raridade de aficionados. Um exibidor porn da Califórnia o relançou em versão remix em 1972, com sucesso esperavelmente limitado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário