.

.

domingo, 28 de julho de 2013

Microensaios de noite de domingo - Com Cara, Coragem e Cólera


(Li/Vi na Internet e divido com vocês)


Com Cara, Coragem e Cólera


Jovens, rebeldes e com muitas causas – durante quinze dias ouvi a mídia hegemônica chama-los de vândalos. No começo, todos o eram. Depois, a mesma mídia separou-os do resto: haveria os bons e maus militantes – e eles eram dos últimos. E contra eles a Fúria (de Deus?) deveria eclodir.

Quatro jornalistas de Fortaleza os seguiram, falaram com eles, respiraram gás juntos – e o resultado foi o documentário Com Vandalismo, da Nigéria Audiovisual. Reportagem nervosa, de vozes que somem e reaparecem, câmera tremida, imagens quase primeira-guerra de rostos cobertos por camisas.

No começo era a família – crianças, pais, vovós. Na medida em que as manifestações se foram sucedendo só ficaram eles. Homogêneos ou quase – são homens, jovens e revoltados. E portadores de um destemor ou insensatez que eu só atribuía a longínquos soldados de tempos outros. Aqueles meninos (ou quase) combatiam com garrafões de água mineral (para jogar dentro as bombas).

Ingenuamente eu não sabia que a cidade em que vivo (ou o país, ou o mundo) seria capaz de gerar tanto ódio. Aqueles rapazes (dá para ver) têm a porta fechada. É preciso que a sociedade adulta se rearticule e abra a porta.

Ou não – nada a não ser o bom senso nos obriga a tornar a sociedade justa. Só que alguma vez eles podem voltar não com coragem e garrafões – mas com coragem, um comando unificado e armas mais letais. E então (talvez) será um pouquinho tarde.

Até domingo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário