.

.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Nota sobre Dim Brinquedim – artesão popular moderno



Dim Brinquedim faz brinquedos. Brinquedos interessantes – diferentes dessas baratitudes vulgares chinesas. Seus brinquedos lembram tempos de antes, tradição, tempo de meninos brincarem entre si e com os avós. A estrada da Coluna em Pindoretama leva a seu museu-parque. É município pegado a Fortaleza. Mais que dos brinquedos, escrevo do artista.

Na imagem em geral dos artesãos populares sempre faltam alguns dentes, arrancados pela idade e pela falta de recursos. O artista do povo é geralmente aquela pessoa idosa, descoberta muito tarde, que pouco conhece além da sua esquina e do que aparece no Jornal Nacional. Frequentemente seu conhecimento da língua portuguesa é distante da perfeição e nem tudo do que fala se entende.

Dim Brinquedim tem página no Facebook, planos para um parque, vende seus produtos em loja no Rio. Já morou lá. Conhece secretários de cultura e já participou de programas de governo.

O artesão popular do futuro talvez imite pessoas como Dim Brinquedim. O artista do povo do futuro possivelmente será assim, articulado, consciente da necessidade da participação estatal na arte e do poder da rede de computadores. Como o artista de Pindoretama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário